Torneio Start RNK Fast Lap abre os trabalhos de 2019

Em clima festivo e com premiação especial, Torneio Start RNK Fast Lap abriu extraoficialmente a temporada da 8ª Copa RNK.

Juliano Cunha comemorou a conquista do Torneio Start RNK Fast Lap com a quadriculada na mão.

Juliano Cunha comemorou a conquista do Torneio Start RNK Fast Lap com a quadriculada na mão.

A Copa RNK 2019 começa somente daqui a um mês, mas boa parte dos pilotos teve a oportunidade de voltar à ativa neste sábado (23), no Fast Lap Kart Indoor, com a realização do Torneio Start RNK Fast Lap. Para o evento, os organizadores propuseram um formato diferente das habituais competições do campeonato, dividindo a disputa em duas fases: a primeira, no sistema “volta rápida” em três stints de 10 minutos com karts invertendo-se os karts entre os pilotos. A segunda, no sistema “mata-mata”, com dois pilotos disputando cada bateria em dois stints de 3 voltas, compondo quartas de final, semifinais e final.

Depois de muita emoção e disputas por milésimos de segundo, Juliano Cunha sagrou-se o grande vencedor e, como prêmio, foi agraciado com a isenção da anuidade para a inscrição na Copa RNK e ainda uma vaga para disputar a 1ª etapa do CEKI (Campeonato de Endurance de Kart Indoor), organizado pelo RA Racing no Kartódromo Beto Carrero, integrando o RNK Endurance Team .

Após o evento, foi apresentado o troféu que será entregue ao campeão de 2019, que carrega o nome dos vencedores das sete edições anteriores. Chico Johnscher, um dos idealizadores da Copa RNK, anunciou ainda que o campeão também ganhará uma vaga na equipe para correr nas 12 Horas do CEKI, em dezembro.

1ª fase – sistema fast lap

Bruno Ferrari vai estrear na RNK este ano e já mostrou suas credenciais ao fazer o melhor tempo da primeira bateria classificatória.

Bruno Ferrari vai estrear na RNK este ano e já mostrou suas credenciais ao fazer o melhor tempo da primeira bateria classificatória.

Na primeira fase, os pilotos foram divididos por sorteio em 3 grupos. Os detentores dos dois melhores tempos dentre os três stints de cada bateria avançavam para o mata-mata. No primeiro stint da primeira bateria, Eduardo Johnscher fez o tempo mais baixo (27,879s), superado no stint seguinte por Chico Johnscher (27,581s). No stint decisivo, ambos foram batidos por Bruno Ferrari (27,371s) e Vinícius Eduardo, que na última volta marcou 27,530s alijando Chico da fase seguinte.

Ao cravar a melhor volta do dia na segunda bateria classificatória, Juliano Cunha já dava mostras de que seria forte candidato à vitória.

Ao cravar a melhor volta do dia na segunda bateria classificatória, Juliano Cunha já dava mostras de que seria forte candidato à vitória.

Na segunda bateria, Juliano Cunha fez o melhor tempo do primeiro stint em 27,314s, desbancado por Lipe Carneiro (27,135s) na série seguinte. Juliano deu o troco no terceiro stint e baixou para 26,645 e marcando o melhor tempo de toda a 1ª fase. Ambos avançaram para o mata-mata.

Guilherme Medeiros foi o mais rápido do terceiro grupo da fase classificatória.

Guilherme Medeiros foi o mais rápido do terceiro grupo da fase classificatória.

O terceiro grupo teve a bateria mais acirrada. Guilherme Medeiros garantiu sua classificação logo no primeiro stint, marcando o tempo de 26,983s. No segundo stint, Marco Mega foi o mais rápido com 27,060s, apenas 3 centésimos abaixo de Fábio Mathoso (27,090s). Ambos, porém, foram superados no último stint por Roberto Marlangeon, que obteve a classificação com o tempo de 26,994s.

Para completar os oito pilotos que passaram de fase, foram selecionados os melhores tempos dentre todos os demais participantes, exatamente Marco Mega e Fábio Mathoso.

2ª fase – sistema mata-mata

Chico Johnscher e o vencedor Juliano Cunha, ladeados no pódio por Roberto Marlangeon (P2), Marco Mega (P3), Bruno Ferrari (P4) e Fábio Mathoso (P5).

Chico Johnscher e o vencedor Juliano Cunha, ladeados no pódio por Roberto Marlangeon (P2), Marco Mega (P3), Bruno Ferrari (P4) e Fábio Mathoso (P5).

Para essa fase, inverteu-se o traçado da pista e foram retirados os restritores dos motores dos karts, liberando-se sua potência total. Os confrontos das oitavas de final foram estabelecidos de acordo com os tempos obtidos  na fase anterior. No primeiro deles, Juliano Cunha venceu com facilidade a disputa contra Vinícius Eduardo. No segundo, Guilherme Medeiros rodou em três das seis voltas, facilitando a vida de Bruno Ferrari, que seguiu para a semifinal. No terceiro, Roberto Marlangeon também não teve muitas dificuldades para superar Lipe Carneiro. O último confronto foi o mais equilibrado, pelo menos no primeiro stint, no qual Fábio Mathoso tinha uma vantagem de apenas 0,278s sobre Marco Mega. Após a troca de karts, contudo, Mega reverteu a vantagem com sobras, vencendo com  mais de 2 segundos de folga.

Na semifinal, Roberto Marlangeon e Bruno Ferrari foram os primeiros a entrar na pista para definir uma vaga na final. Um dos pilotos mais experientes da disputa, Roberto Marlangeon bateu Bruno Ferrari e garantiu a classificação. A disputa entre Juliano Cunha e Marco Mega foi a mais apertada de todas. No primeiro stint, Marco Mega tinha a vantagem de cerca de 0,1s, mas na última volta Juliano foi 0,2s mais rápido, garantindo a vaga na final.

Na disputa final, entre Roberto Marlangeon e Juliano Cunha, este foi mais rápido nas seis voltas e conquistou o título. “Me preparei muito para essa prova e o meu esforço foi recompensado”, exultou Juliano ao sair do kart sem esconder a euforia. “Agora é me preparar para as seis horas”, completou referindo-se à primeira etapa do CEKI, que acontece no dia 16 de março, na qual fará parte do RNK Endurance Team.

Já a primeira rodada da Copa RNK 2019 será uma semana depois, no Kartódromo dos Ingleses, em Florianópolis, em evento conjunto com o APA Challenge. A abertura das inscrições para essa etapa é esperada para os próximos dias.

Via RNK